Velocidade média da internet no Brasil não é das melhores

Velocidade média da internet no Brasil não é das melhores

O OpenSignal é um instituto de pesquisa que, todos os anos, mede a velocidade das conexões móveis de internet no mundo todo. Nesta semana, o instituto divulgou o seu relatório mais recente, referente ao quarto semestre de 2017.

O relatório compara a velocidade média e a cobertura de redes 4G em mais de 4 milhões de dispositivos cadastrados em 88 países. O levantamento apenas levou em consideração as conexões feitas através do padrão LTE.

Os resultados mostraram que a posição do Brasil não é das melhores. Nosso país, no ranking que compara a velocidade médias das conexões 4G no mundo, aparece em 52º lugar, atrás de países da Europa, América do Norte e Ásia. A velocidade média brasileira é de 19,67 Mbps.

O interessante do relatório é que estamos à frente da maior parte de nossos vizinhos da América do Sul: Uruguai aparece em 58º, Chile em 59º e Argentina em 80º e, para surpresa geral, estamos ainda à frente dos Estados Unidos, que ficaram em 62º.

O primeiro colocado, como já acontece há vários anos, ainda é a cidade-estado de Singapura, onde a velocidade média do 4G pode chegar a 44,31 Mbps. Em segundo lugar estão os Países Baixos (Holanda), e em terceiro, a Noruega.

A cobertura do 4G de acordo com o relatório

O instituto OpenSignal também analisa a cobertura do 4G em cada país, medindo a proporção de tempo em que os usuários têm acesso. Essa medida leva em conta tanto o espaço territorial coberto pelas operadoras, como também a estabilidade das conexões.

Nesse item, o Brasil sai perdendo ainda mais, aparecendo em 78º lugar, com cobertura de 61,26%, ficando a apenas um passo de estar entre os 10 piores colocados, perdendo para países como República Dominicana, Costa Rica, Irlanda e Equador.

Alguns países sul-americanos aparecem à frente do Brasil, como a Colômbia, o Chile e a Argentina. Em primeiro lugar aparece a Coreia do Sul, que tem uma cobertura de 97,49%, seguida do Japão, com 94,7%, e da Noruega, com 92,16%.

A conclusão do estudo é de que o mundo está chegando ao limite que a tecnologia LTE pode oferecer em termos de velocidade. Agora, só resta esperar pela implantação geral do 5G para que tenhamos um salto nos números.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


WhatsApp chat