Celular está sendo usado por 93% dos brasileiros para acesso à internet

Celular está sendo usado por 93% dos brasileiros para acesso à internet

O número de brasileiros que estão acessando a internet através do celular só vem aumentando: atualmente 93% de usuários estão conectados com o mundo através de ligações, de SMS e de navegadores. A informação é do CGI (Comitê Gestor da Internet) do Brasil, que divulgou o índice de smartphones.

Atualmente apenas 25% da população possui um desktop e 32% se utilizam de notebook. Assim, a cada novo dia, mais e mais brasileiros têm acesso à internet pelos equipamentos móveis.

Chegamos a um total superior a 100 milhões de pessoas acessando a internet, ou seja, 51% da população, sendo que, nas classes A e B, o percentual é de quase 90%.

Das pessoas que se utilizam da internet em casa, 66% informam ter usado internet pelo menos uma vez e, dentre esses, 8 em cada 10 acessam a internet diariamente.

Grande parte dos usuários não têm acesso fixo em sua residência, acessando a internet no trabalho, em lan-houses ou em casa de amigos e parentes.

Internet móvel, cada vez mais popular

De todo o público que acessa a internet, 56% das pessoas informam que acessaram a internet pelo menos uma vez nos últimos 3 meses. O menor índice de usuários está no Nordeste, motivados principalmente por fatores econômicos ou má distribuição do sinal.

Compras pela internet, cada vez mais comum

Atualmente, pelo menos 61% dos brasileiros pesquisam na internet antes de fazer compras ou de procurar serviços.

Esse efeito é conhecido como “I Want to Buy” na denominada “jornada de compra do consumidor”.

O índice não significa que as pessoas vão comprar um produto ou serviço apenas pela internet, mas sim, em grande parte, pesquisar por preços e informações, buscando detalhes técnicos do que pretende comprar.

Assim, seja o comerciante um engenheiro, um tatuador, um vendedor de eletrodomésticos, certamente os internautas estão pesquisando antes de comprar com você.

Em contrapartida, pelo menos 40% da população que acessa a internet afirma ter comprado um produto ou serviço através dos meios digitais nos últimos 12 meses. Isso significa que o índice pode melhorar, já que os outros 60% nada compraram, representando um poder econômico e aquisitivo gigantesco, que ainda pode fazer parte do comércio online.

A principal objeção de quem ainda não comprou pela internet é a vontade de ter o produto nas mãos, sentindo-o e percebendo sua qualidade.

O comércio de vendas já percebeu isso e algumas marcas fazem ações pontuais, como um e-commerce norte-americano, que envia 3 numerações diferentes de um calçado para que o cliente possa experimentar e fazer a sua opção.

Algumas lojas no Brasil já disponibilizam devolução por satisfação, caso o cliente não goste do produto, podendo devolvê-lo sem qualquer problema.

Um bom exemplo disso, entre nós, brasileiros, é a loja de móveis Oppa, que mantém quiosques e pequenas lojas para que os clientes possam verificar os móveis e artigos de decoração, embora o pedido só possa ser feito pela internet.

Outra objeção enfrentada pelo e-commerce é que 56% das pessoas desconfiam do produto ou do serviço que estão comprando, seja pelo prazo, pela qualidade ou qualquer outro motivo.

Entre os que produzem, vendem ou ofertam serviços, apenas 14% diz ter usado a internet para divulgação de seus produtos ou serviços.

Para os profissionais de marketing digital, este dado se apresenta bastante promissor, uma vez que é possível explorar 86% dos vendedores, produtores ou prestadores de serviços para criar um canal eficiente de vendas.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


WhatsApp chat